Colunista Ricardo Feltrin narra os bastidores da negociação Patati e Patatá, Rinaldi e SBT



Foi uma semana agitada e não muito feliz para o empresário Rinaldi Faria e sua dupla de palhaços, Patati e Patatá. Ex-mágico, Rinaldi, como é conhecido, vinha negociando a renovação do contrato de seu produto com o SBT. 

A emissora sugeriu que ele aceitasse o esquema "meio a meio" --no qual emissora e artista dividem lucros de publicidade e custos de produção. Estrelas como Ratinho trabalham nesse esquema. O empresário se fez de difícil e não aceitou. O SBT então exigiu receber uma porcentagem dos ganhos nas vendas de 300 produtos licenciados com a marca Patati e Patatá...

Como demorou para responder, o SBT anunciou "extraoficialmente" que a dupla estava fora da programação, que não precisava mais de seus serviços e que até logo, façam uma boa viagem. Só então caiu a ficha (expressão nascida no tempo dos velhos "orelhões") e Rinaldi decidiu aceitar as condições do SBT e repassar porcentagem de seus ganhos com seus personagens "palhacísticos". Rinaldi teve de praticamente implorar para voltar às negociações.

Fontes ouvidas por esta coluna dizem que as condições impostas pelo SBT no final das negociações foram bem piores que a inicial, de dividir meio a meio lucros e gastos, uma vez que neste caso o SBT estava abrindo mão de porcentagens sobre produtos. Tarde demais... Agora vão aparecer apenas uma vez por semana, assim como o SBT faz hoje com o Bozo... 

Você, leitor atento, e você, leitora bonitona, devem estar se perguntando... Mas, e os palhaços? Esqueçam os palhaços. O salário deles é ínfimo. O motivo? O motivo é que o empresário é dono da marca e paga quanto quiser aos palhaços. Se aceitarem, ok. Se não aceitarem, até logo. Coloca outro artista fazendo o Patati ou o Patatá no ar. É como o Bozo. Não existiu apenas um Bozo. Houve vários... É só pegar uma pessoa com certo biótipo, pintar a cara e fazer palhaçadas. Graças à maquiagem, não há um personagem imutável. Sorte do empresário.

Por que Bozo e Patati e Patatá só aparecerão uma vez por semana? Corte de custos por parte da emissora. O SBT licenciou o uso do palhaço Bozo, mas se o utilizasse todo dia ficaria muito caro. Principalmente porque, além de Bozo, há uma grande trupe atrás dele (Vovó Mafalda etc.). Usa-se menos, paga-se menos. Deve ter sido o mesmo princípio que regeu a virtual renovação de Patati e Patatá...

...esse não é o caso de "Chaves" e "Chapolim", cujo acordo que o SBT acertou com a Televisa prevê que a emissora brasileira pode passar quantas e quantas e quantas vezes quiser os capítulos. Por isso quase todos os capítulos aparecem com a imagem literalmente gasta. Já foram exibidos dezenas e até centenas de vezes pelo SBT nas últimas décadas. 

Fonte: Ricardo Feltrin (F5 - Folha Online)
Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

Cuidado com o que você comenta,seus argumentos pode prejudicar nossa equipe e você próprio.