Vai ficar feio! SBT prepara dossiê contra o Ibope


O SBT está produzindo uma investigação nos números e métodos do Ibope.

A ideia é que a investigação gere um dossiê, a ser apresentado à imprensa e ao mercado publicitário.

Executivos da emissora suspeitam que o Ibope realizou mudanças nos critérios de medição de audiência na Grande São Paulo.

O Ibope teria, de acordo com diretores da emissora, aumentado em sua amostra o peso de domicílios com TV por assinatura e reduzido o peso de crianças de até 11 anos.

Essas mudanças teriam, supostamente, prejudicado o SBT e favorecido seus maiores concorrentes, a Globo e a Record. Ambas praticamente não têm programação infantil, e a Globo é mais forte no cabo e no DTH.

A origem da desconfiança do SBT está na queda de audiência verificada nos últimos meses, sem que nenhuma mudança importante tenha ocorrido em sua programação.

Em novembro, o SBT tinha na Grande SP os mesmos 6,3 pontos de média diária (7h/0h) da Record. Em janeiro, o SBT caiu para 5,3, enquanto a Record foi para 5,6. Em março, a diferença aumentou: 5,1 para o SBT, contra 6,3 pontos da Record.

A desconfiança do SBT está por trás de uma falsa chamada, disponível apenas no YouTube, em que a emissora oferece "um bom prêmio em dinheiro" a quem tiver um vizinho com "o aparelho da TV", uma referência ao peoplemeter, equipamento usado pelo Ibope para identificar o canal que o televisor está sintonizado.

Outro lado

Por e-mail, a diretora regional Brasil do Ibope Media, Dora Câmara, confirmou que está sendo dado maior peso aos domícilios com TV paga (50% da Grande São Paulo). A diretora, no entanto, nega mudanças no peso de crianças.

A seguir, a íntegra da resposta do Ibope ao blog:

"O Ibope possui estimativas de universo com o objetivo de refletir as características sociais e demográficas existentes nas áreas nas quais realiza suas pesquisas. Anualmente esses valores são atualizados para retratar as mudanças de perfis observados na população brasileira.

As fontes de informações para essas atualizações são as projeções de população calculadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), informações demográficas do PNADs e/ou Censo e informações sociodemográficas procedentes do Levantamento Socioeconômico (LSE), também desenvolvido pelo Ibope.

Uma das tendências que vem sendo observada é o crescimento da penetração da variável pay TV. Em relação a faixa etária de 4 a 11 anos, observamos uma estabilidade na sua proporção."

Fonte: Daniel Castro (R7)
Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

Cuidado com o que você comenta,seus argumentos pode prejudicar nossa equipe e você próprio.